Em 2015 eu vou…me amar mais


No final de cada ano temos aquele costume de pesar tudo o que aconteceu e fazer resoluções para o novo ano que chega. E é sempre aquela coisa: tudo o que prometemos largamos no meio do caminho e no final do ano vem aquela culpinha por não ter conseguido parar de fumar, emagrecer, etc etc. Nesse final de ano comecei a pensar em coisas não-materiais que não fossem só um alvo para o próximo ano. Decidi então que minha resolução tem que ser sempre me amar primeiro porque acho que se eu me amar primeiro todas as outras coisas vão acompanhar.

Desde que comecei o Overlicious tem sido uma luta diária amar o meu corpo e hoje quero contar um pouco sobre como é isso e os exercícios que pratico para treinar os meus conceitos. E não, eu não “cheguei lá” e eu não sou imune à padrões, afinal eu vivo na mesma sociedade que vocês. É um grande desafio desconstruir toda essa informação que eu carrego desde sempre de que gorda é feia, desleixada, preguiçosa, etc. Então vamos aos exercícios:

1. Atribuição à palavra

Gorda. Sim, eu sou gorda. Não é palavrão, é um adjetivo que me caracteriza fisicamente. Ele não diz nada sobre o meu intelecto, a minha personalidade, os meus valores, ele diz sobre o meu corpo. E tudo bem porque isso é humano! O cérebro humano precisa categorizar coisas para facilitar o aprendizado, coisas como cores, objetos, formas, texturas, sabores, tudo deve ser categorizado. Então sim, eu sou gorda, estou nessa categoria porque estou acima do peso. Ponto.

2. Questione os padrões

Assim como qualquer tendência, padrões de beleza mudam e nós mulheres somos reféns deles sem nem perceber. Agora pare para pensar um pouco, você não acha meio ridículo você investir todo seu tempo, dinheiro e felicidade em uma coisa que pode ser completamente diferente amanhã? É um péssimo investimento. Não estou falando que você não pode querer mudar, mas uma coisa é mudar porque todo mundo diz que algo é bonito, outra é mudar porque você acha bonito.

3. Continue questionando

Já falei isso aqui no Overlicious, sempre tento um exercício quando me olho no espelho: ao invés de procurar primeiro pelos “defeitos” eu procuro as qualidades. Quando eu chego nos “defeitos” e naquela hora de dizer que sou horrível, que preciso emagrecer, que preciso de uma limpeza de pele, que meu cabelo não está como eu quero, eu começo a me perguntar se aquele “defeito” é mesmo um defeito. Quem foi que me disse que aquilo é um defeito? Por que eu acho aquilo feio? Eu acho aquilo feio mesmo ou isso faz parte de alguma referência cultural? E olha, tudo bem se depois de tudo isso você encontrar defeitos, mas o importante é você ver a beleza que eles podem ter. Nosso corpo é perfeito, ele faz coisas incríveis, que a tal a gente reconhecer isso de vez em quando?

4. Faça o que você gosta, use o que você acha bonito

Sabendo que eu sou gorda, que tenho limitações e que não sou perfeita fica mais fácil fazer escolhas que respeitem o meu corpo e o conforto dele. Então reúna referências de coisas que você gosta e que você sabe que vão te deixar bem. É engraçado porque uma vez que você sabe os limites do seu corpo, você não precisa mais ter “coragem” para usar nada. Você não vai precisar querer ser ninguém, ou querer ter a confiança que outra pessoa tem porque ela estava dentro de você esse tempo todo :D

Se eu tenho uma resolução para esse ano novo é me amar mais porque isso vem de dentro pra fora e traz todas as outras coisas que desejo, seja isso um trabalho, um namorado, emagrecer, parar de fumar. Uma vez que você se ama e se respeita, o efeito cuida de todo o resto.

Feliz ano novo!Overlicious-Resolucoes

    Comments

    comments