Sobre a polêmica da C&A


Sempre achamos a linha de tamanhos especiais da C&A algo meio estranho. Parecia bacana, até as roupas aparecerem nas araras. Peças de malha, aquelas bermudas que marcas plus size insistem em fazer e um gosto bem duvidoso. Foi um soco no estômago de quem quer usar peças das coleções de designers bacanas mas não cabe no 46 (tamanho máximo das roupas convencionais).

Overlicious-CA-Preta-Gil-Polemica

Depois veio a Preta Gil. Ah, claro! A moça que deu entrevista pouco tempo antes de lançar sua primeira coleção para a fast fashion dizendo que não concorda com lojas especializadas porque tem amigos estilistas que fazem peças pra ela. Meio estranho a pessoa dizer que não gosta de lojas plus size, mas desenvolver coleção de tamanhos especiais, não?

Bom, nosso bode de lado, vamos a polêmica dessa semana. Em sua terceira campanha para a marca, além das peças de péssimo gosto, Preta aparece quase branca em fotos extremamente retocadas no Photoshop. Péssimo! Mas a pergunta que fica é “por que?”. Não consigo entender uma marca que tem uma iniciativa de fazer com que as mulheres aceitem suas curvas, retocar tanto uma foto fazendo parecer que ter curvas, celulites, e até um corpo normal é errado! A C&A ainda teve a cara de fazer um pronunciamento dizendo que não usou Photoshop excessivamente.

Além do tapa na cara de não fazer as peças mais bonitas em tamanhos maiores, chamar uma pessoa que é contra o segmento e fazer modelos horrorosos “especialmente” pra gente, eles ainda fazem mais essa. Infelizmente a única mensagem que conseguimos receber é “você não é bonita do jeito que é e a sociedade não vai te aceitar. Mas precisamos do seu dinheiro, então pegue essas fotos de uma pessoa que não se considera parte do meio e boas compras!”.

Triste.

Débora Fomin

    Comments

    comments