Mariana Godoy fala sobre o Empoderarte-me, Gordofobia e Diversidade


Mariana Godoy é uma fotógrafa de 22 anos e é criadora do Empoderarte-me, projeto que conta com a participação de cinco modelos gordas em fotos sensuais com frases escritas em seus corpos. As fotos, que chamaram a atenção da mídia e das redes sociais, levantaram questões importantes para a luta contra o preconceito e a gordofobia como a separação da saúde e da aceitação e o uso do termo “gorda” de uma forma positiva.

Overlicious-Mariana-Godoy-Entrevista-Empoderarteme-1

Eu fiquei muito orgulhosa da Mari, ainda mais porque ela expôs um preconceito que muita gente acha que não existe e que é frescura. Se você ainda acha que gordofobia não existe, dá uma lida nos comentários das matérias em que o trabalho da Mari foi publicado. Spoiler: estão cheios de maldade atacando essas mulheres lindas e poderosas que abraçaram seus corpos como são. O que me faz pensar o quanto ainda temos pela frente e o quanto a felicidade e aceitação alheia incomoda quem não está feliz na própria pele.

Overlicious-Mariana-Godoy-Entrevista-Empoderarteme-2

Overlicious-Mariana-Godoy-Entrevista-Empoderarteme-3

Overlicious-Mariana-Godoy-Entrevista-Empoderarteme-4

Overlicious-Mariana-Godoy-Entrevista-Empoderarteme-5

Mariana Godoy e suas modelos empoderadas <3

Conversei com a Mari e ela me respondeu algumas perguntas sobre o Empoderarte-me, gordofobia, mercado plus size e diversidade. Confira:

Mari, me conta sobre o Empoderarte-me, como surgiu a ideia e como foi feita a escolha das meninas?
Sempre que faço projetos fotográficos, tenho o foco no empoderamento feminino. A partir disso, a Tatiana Stocco, uma das organizadores de um sarau erótico aqui na minha cidade, me fez uma proposta. Uma exposição com fotografias sensuais de apenas gordas. Na hora achei maravilhosa a ideia, porque além de inspiradora, tem muito a ver comigo, pois também sou gorda. A escolha das meninas primeiramente foi feita entre amigas, mas nas próximas sessões fui conhecendo novas mulheres e fazendo novas amizades.

A gente se encontrou lá no FWPS, o que você achou dos desfiles? Você acha que a moda plus size está acompanhando esse empoderamento da mulher gorda?
Eu gostei de algumas marcas apenas. Acho que precisariam ousar mais sabe? Infelizmente achei algumas marcas com aspectos muito adultos, como estampas adultas, recortes, estilo etc. Ali no desfile tinha muita garota jovem, e tenho certeza que muitas de nós querem algo com a nossa idade e não com cara de mãe rs. Outra coisa que eu fiquei um pouco chateada foi que a capa do desfile era com o foco em mulheres negras. E só vi algumas durante o desfile. Poderia existir mais. Algumas [marcas estão acompanhando o empoderamento da mulher gorda] sim e outras não. Ainda falta acertar muita coisa, começando pelas numerações. Por exemplo fabricar um tamanho 48 real, que não seja um 48 disfarçado de 44/46.

Adorei que você usou a palavra “gorda” em suas entrevistas, queria que você falasse um pouquinho sobre a importância de tirar a negatividade desse termo.
Cresci sabendo que a palavra gorda seria uma ofença, e é justamente o contrário que eu quero mostrar: essa discriminação. Se uma pessoa apontar para você e dizer “que gorda!” Você dizer “muito obrigada me amo assim!” Ser gorda é ser linda sim, as pessoas que tem que parar com o preconceito.

As lingeries são absolutamente lindas, de onde são?
Nossa é muita mistura. Porque é bem difícil de achar né? A maioria que escuto das meninas é que são compradas na Marisa, Morena Lingerie, em alguns sites ou feitas por uma costureira de confiança.

Me fala um pouco sobre as frases escritas nos corpos das meninas, parece que a que mais criou ódio na internet foi a “gorda e saudável”. Você acha importante levantar essa discussão sobre saúde vs. aceitação? 
Sim e muito! Parece que após o ensaio surgiu uma nova profissão: Fiscal de saúde alheia rs. Quero que as pessoas parem de assimilar que gordo não é saudável. A menina que utiliza essa frase pratica atividades físicas todos os dias e come coisas saudáveis. Não é seu peso que vai condenar a sua saúde, mas sim se você for sedentário, não cuidar da alimentação. E isso vale para qualquer tipo de corpo.

O que você achou dessa repercussão toda? Esperava por isso?
Não, não mesmo! Hoje (30/07) mal almocei porque fiquei nervosa. Foi um site atrás do outro, rádios, programas de televisão. Sabe, não é pela fama, mas pelo reconhecimento com o corpo gordo e mostrar o quando isso é poderoso na sociedade.

Próximos projetos? Em outras cidades?
Talvez. Ainda não tenho nada em mente. Mas pretendo ir para o Rio De Janeiro, e sempre que der São Paulo.

Onde podemos acompanhar seus trabalhos?
Pelo tumblr do Empoderarte-me
Minha página do Facebook
E meu instagram @marianagodoyfoto

Sucesso!

Débora Fomin

    Comments

    comments