Gorda pode: Fazer Exercício Físico 


Estava lendo um texto lindo essa semana sobre como mulheres gordas estão usando o exercício físico como uma forma de ativismo contra a gordofobia.

A ideia de se exercitar é muito incoerente aos olhos da nossa sociedade porque se uma pessoa é gorda logo se deduz que ela não é ativa fisicamente e que precisa entrar em uma academia com urgência. Mas ao mesmo tempo muitas academias são ambientes tóxicos carregados de olhares preconceituosos e muitas vezes até bullying.

Só para ilustrar essa contradição: quando eu comecei a academia ano passado, não cheguei a sofrer bullying mas passei por algumas situações desconfortáveis. Tive que preencher um formulário me perguntando sobre meus objetivos (ok) e sobre meu nível de autoestima (estranho, mas ok também). Quando passei pela avaliação disse que estava muito bem com o meu corpo e que não estava lá para emagrecer, embora soubesse que esse seria um resultado inevitável dos meus treinos. Aí percebia a cara de choque dos professores que me perguntavam “como assim não quer emagrecer?” e “o que você está fazendo aqui então?”

Como não estava lá pela opinião dos professores, achei graça e segui com meu treino e isso me fez muito bem. Pena que a história não é a mesma para muitas mulheres que sofrem bullying nas academias, olhares tortos de outras mulheres e negligência de instrutores. Pelo visto o jeito é seguir sem se importar MESMO com a opinião e falta de sentido das pessoas e se exercitar sim, sem medo.

Por isso, hoje vou mostrar algumas mulheres gordas que são grandes inspirações  quando o assunto é cuidar do corpo. Já disse isso antes e repito: eu não me exercito porque odeio meu corpo, mas porque o amo. “Quando a gente gosta é claro que a gente cuida”, não é mesmo?

Uma foto publicada por @biggalyoga em

Também tem esse link maravilhoso que é um guia de corrida para mulheres gordas, vale o clique!

Quer fazer exercícios, que ótimo! Mas lembre-se que você não deve explicações dos seus motivos para ninguém e nunca deixe de fazer o que quer por causa da opinião dos outros.

Debora Fomin

    Comments

    comments